quinta-feira, 21 de abril de 2011

Mulher burra e vulgar

Não há nada pior que mulher burra... talvez apenas a mulher burra vulgar.
Não devemos tratá-las mal, mas guiá-las pelos árduos caminhos do saber e da educação.
Numa discussão, uma mulher inteligente costuma utilizar argumentos racionais para combater as ideias das quais discorda. Jamais ataca a moral das pessoas que têm opiniões divergentes, pois respeita o direito de cada um pensar de forma diferente. Por isso, num debate, a mulher inteligente argumenta com clareza, explicando os motivos de sua discordância e ouvindo os motivos da outra parte.

As pessoas que discutem de forma inteligente podem até não concordar no final, mas ambas sairão enriquecidas da discussão, por que terão analisado pontos de vista diferentes e aspectos que antes não haviam lhe chamado a atenção. E o melhor de tudo: poderão manter amizades com essas pessoas, pois o respeito foi mantido.

Mas, num debate com a mulher burra, a coisa muda de figura: ela não utiliza argumento algum, porque sua opinião não tem base racional, logo, "é assim por que eu quero e pronto".
Normalmente, não sabe defender seus próprios pontos de vista, porque não raciocinou sobre eles. A mulher burra, então, agride moralmente a pessoa que ousar discordar de sua crença. Vendo-se sem saída, nada mais lhe resta a fazer senão atingir a moral de seu oponente.
Concluindo, mulheres inteligentes jamais se deixariam levar pelos falsos argumentos, pelas teorias conspiratórias das bandidas e muito menos pelas suas falácias (dever de casa para as ceguetas: procurem no dicionário o significado de falácias).

Como dizia meu falecido pai, um grande admirador da inteligência feminina: “mulher burra deveria nascer com a cabeça quadrada para que os homens pudessem reconhecer à distância”.
Eleonora

2 comentários:

Sergio Luis NH disse...

MISERICORDIA - QUE FOTO

Eleonora Kira disse...

Meu Deus, que surpresa ver meu humilde texto sendo reblogado.. muito obrigada!!!