sábado, 4 de dezembro de 2010

Tropa de Linguística

Aproveitando o grande sucesso do filme "Tropa de Elite" nos cinemas (e no "comércio informal" de mídia), um grupo de alunos da disciplina de Linguística e Comunicação da FABICO/UFRGS abordou, com propriedade e de maneira criativa, o tema do preconceito linguístico, em uma adaptação livre de uma cena daquela produção. Confira:



Publicado no blog de Leandro Rodrigues em 16/12/2007

Um comentário:

MARIA ASSUNÇÃO disse...

O que mais me incomoda é o emprego de palavras, que apresentam significados linguísticos específicos, assumindo outras definições como por ex.:
1º - Dialeto se constitui uma forma de falar que envolve duas ou mais línguas distintas. No Brasil, temos o "portunhol" nas regiões próximas da Argentina, Chile etc.
2º - Gírias são linguagens de grupos sociais distintos;
3º - Com relação às falas de habitantes das diferentes regiões brasileiras, nós temos as diferenças linguísticas próprias a cada região sócio-política-econômica e cultural. Não podemos dizer que um modo de falar de uma região é melhor ou pior do outra, porque isso é preconceito linguístico que engloba todos tipos de preconceitos. O que ocorre no Brasil é uma diversidade linguística fabulosa que mostra a riqueza da diversidade cultural desse país continental travestido de cores, odores, sabores / saberes e sons tão brasileiros...